Desenvolva um negócio sustentável: Startup Enxuta – parte 1


Lean Startup Startup Enxuta

O Debase preparou um resumo de uma das obras mais comentadas da atualidade no mundo dos (novos) negócios: “Startup enxuta: Empreendedorismo em tempos de incerteza”, de Eric Ries. Vamos começar hoje uma série de quinze artigos que resenham este livro tão importante. Boa leitura!

Introdução

O empreendedor Ricardo Sazima (Abril Mídia, Inova Ventures Participações S/A) fala na apresentação da obra sobre sua identificação com a trajetória do autor. Como Eric Ries, Ricardo também conheceu o sucesso somente após um retumbante fracasso. E o aprendizado com o fracasso, na verdade, revelou-se fundamental para o sucesso. Por quê?

Ao fracassar em um ambicioso projeto de E-Learning, Ricardo aprendeu que não se pode isolar do cliente, que as suposições precisam ser testadas, que é preciso ter contabilidade adequada e que é preciso trabalhar em pequenos lotes e ter feedback real e constante.

A validação, enfim, é fundamental nos dias de hoje. Não se pode trabalhar em produtos e serviços sem ter validação do seu valor, das suas possibilidades de crescimento e da sua transformação em um negócio sustentável. Partindo de uma história semelhante e visando a redução de riscos, prejuízos e tempo na criação e no estabelecimento de novas startups* , Eric Ries desenvolveu um novo modo de pensar e construir produtos construindo paralelos com a manufatura enxuta – processo que nasceu no Japão com o sistema de produção Toyota.

São cinco os princípios da startup enxuta, que permeiam as três partes do livro (Visão, Direção e Aceleração):

1- Empreendedores estão por toda parte. O conceito de empreendedorismo de Ries inclui qualquer pessoa que trabalha dentro de sua definição de startup: uma instituição humana projetada para criar novos produtos e serviços sob condições de extrema incerteza.

2- Empreender é administrar. Uma startup requer um novo tipo de gestão, constituída para seu contexto de extrema incerteza.

3- Aprendizado validado. Experimentos frequentes são necessários para um dos mais importantes fins de uma startup: aprender a desenvolver um negócio sustentável.

4- Construir-medir- aprender. A atividade fundamental de uma startup é transformar ideias em produtos. Feedback é fundamental.

5- Contabilidade para inovação. Para medir o progresso, definir marcos e priorizar o trabalho, um novo tipo de contabilidade é fundamental.

*Startup – Empresa recém-criada, recém-estabelecida, nascente. Ou um grupo de pessoas que tenta transformar uma ideia em um novo produto e criar uma empresa.

O que Gene Simmons nos ensina sobre empreendedorismo


gene-simmons

Quem gosta de empreendedorismo e do bom velho rock and roll provavelmente vai ficar curioso sobre o livro “Eu, S.A. – Construa um exército de um homem só, libere seu deus interior (do rock) e vença na vida e nos negócios”. Para quem não está ligando a maquiagem à pessoa, Gene Simmons é o baixista da banda Kiss. Músico “nas horas vagas”, desde a juventude ele é um business man ferrenho em tempo integral.

Assim, como muito humor e pitadas de egotrip, a publicação apresenta suas teorias para ser um empreendedor de alto impacto – e enriquecer a todo custo (leia-se deixar as relações pessoais em segundo plano). Mas muito do que o “material boy” fala tem sentido.

Para começar, descobrimos que ele teve uma infância miserável em Israel, antes de imigrar ainda criança para os Estados Unidos. Gene se deslumbrou com a “terra das oportunidades” e o American Way of Life. Ele conta memórias emocionadas do dia em que viu pela primeira vez uma geladeira cheia de comida e um rolo de papel higiênico. Super centrado, em sua juventude o músico estudou muito, gastou o mínimo possível, manteve o máximo de empregos simultâneos que conseguiu e juntou muito dinheiro no banco. Nessas diversas apostas profissionais, o Kiss acabou estourando.

Gene Simmons livro book empreendedorismo Além de tocar, Gene sempre diversificou os negócios. Principalmente na própria banda que virou um produto bestseller. Além de mais de 100 milhões de cópias vendidas entre vinis, cds e dvds, o Kiss ilustrou (entre outras centenas de coisas): histórias em quadrinhos, desenhos na tevê, roupas, bonecos, itens de papelaria, escovas de dentes, roupão, fones de ouvido, decoração de natal, camisinhas, vinho, cerveja, cereal matinal, e até dois modelos de caixão!

Outro empreendimento foi a Simmons Record. Foi Gene quem descobriu e produziu novas bandas, como Keel, Van Halen e Cinderella. Ele ainda investiu na carreira de ator, atuando em filmes e séries como “Runaway – Fora de Controle” (1985), “Procurado Vivo ou Morto”, “Third Watch”, “CSI: Crime Scene Investigation”, “Betty – A Feia”, e até com uma participação em um episódio de Bob Esponja (!). Em agosto de 2006, ele colocou literalmente a família nos negócios. Os Simmons estrelaram o reality show “Gene Simmons: Family Jewels” no canal A&E.

Além de um histórico de vida pouco comum, o livro é recheado de dicas imperativas: gaste o mínimo possível, guarde dinheiro, pense grande, foque em trabalhar e esqueça finais de semana, festas ou se casar e ter filhos até depois dos 30 anos. O cara chegou lá, apesar de para isso ter sido odiado por sua família por seu descaso (leia-se “egocêntrico que não pensa nos sentimentos dos outros”).

Podemos nos inspirar em quanto o músico ralou para fazer muito mais em nossas vidas. Para pessoas que sempre pensam que estão fazendo menos do que poderiam, essa carapuça serve direitinho. Outro ponto que vale destacar é que ele repete ad infinitum: seja autodidata. O conhecimento nunca esteve tão a nosso alcance, então mãos à obra!

Ah, além da parte biográfica e prática, o texto tem diversas tiradas bem engraçadas e politicamente incorretas (nada grave se você não se magoa com esse tipo de coisa). Resumindo a obra em uma aspas “Não estou aqui para dizer como viver sua vida – exceto que, de certa forma estou. Sua vida, de várias maneiras, é o seu negócio – e estou aqui para dizer como se tornar bem sucedido nos negócios. A lista acima de pequenas mudanças na sua vida privada, eu garanto, ajudará a chegar aonde você quer ir”.

Ps: Tamanho sucesso não conseguiu livrar Genne Simmons de seu penteado horrível. Tem coisas que o dinheiro não compra.