Boteco inovador (premiado) gera revolta nas redes sociais


Bar-do-David_Resurgencia_Rio-de-Janeiro_2016_Foto-Marcos-Pinto

Há 17 anos, algumas cidades brasileiras promovem um concurso gastronômico, de pratos “de raiz”. É o Comida Di Buteco, que arrebata multidões que buscam o melhor da culinária popular do país. E os números falam por si: são 500 estabelecimentos participantes, 350 mil tira-gostos vendidos, 430 mil votos e um público estimado de 4 milhões de pessoas (dados nacionais em 2015).

Como todo concurso, é claro, há controvérsias. E no Rio de Janeiro, o vencedor do primeiro lugar causou uma grande revolta nas redes sociais por ter levado o título com uma salada! Pode salada de boteco? No Bar do David, localizado na Ladeira Ari Barroso, no Leme, pode! A receita campeã foi uma salada de frutos do mar com feijão fradinho.

Ou seja, o quitute foi inovador, criativo e pelo gosto do grande público, o melhor do ano. Por que comida dos bares tem que ser gordurosa, ter bacon, linguiça, farofa ou ser bolinho? Quem já foi no Bar do David, no Morro do Chapéu Mangueira, sabe que o local está longe de ser frufru. É familiar, tradicional, com cadeiras e mesas de plástico perto da rua. E que um dos seus carros-chefes é a feijoada de frutos do mar. Daí, para se desdobrar em uma salada, foi um pulo.

Haters gonna hate, mas damos uma salva de palmas para a ousadia do empreendedor David Bispo, que reforça o sentido do concurso: não é por ser boteco que a comida vai ser tosca e repetir os clichês. Fazer piada online é mole. Mas quem se revoltou quando uma salada estava entre os concorrentes? Sem contar que o mundo caminha para um estilo de vida mais saudável. O Mc Donald’s vende salada. A Coca-Cola fez uma versão com estévia e menos açúcar. O mundo gira e quem não evolui vai ficar para trás!

Bar do David

Foto: Felipe Fittipaldi

Posts relacionados

Deixe seu comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>